Sacolas plásticas, de vilãs a ecoeducadoras

Compartilhe:

06/01/2012 - William Rodriguez Schepis / IEF

Sacolinhas despertam gigantes do consumo e conscientizam população

A batalha que vem sendo travada entre a Associação Paulista de Supermercados (APAS) e o Instituto Sócio-Ambiental do Plástico (Plastivida) em torno da distribuição de sacolas plásticas nos supermercados, está dando início a uma onda de conscientização entre seus consumidores.

Claro que as opiniões variam muito em relação ao acordo firmado entre a APAS e o Governo do Estado proibindo a distribuição das sacolinhas no caixa, que entrará em vigor dia 25 de janeiro. Como era esperado, a maioria é contra a proibição, segundo uma enquete realizada no site do Jornal da Tribuna. Sim, esperado, pois ações que trazem mudanças de paradigmas para gerarem benefícios diretos e sobretudo indiretos, causam controvérsia ou até mesmo antipatia momentânea nos cidadãos. Pelo menos até que a consciência coletiva absorva a informação como ideia moral e normativa colocando em prática no seu cotidiano.

Resultado da enquete realizada hoje no site do Jornal da Tribuna

Acima, manguezal em Santos coberto por diversas camadas de plástico
Foto: William Rodriguez Schepis/IEF

Como carregar os produtos

Hoje em dia as pessoas andam com diversos objetos, óculos, chaves, celular, iPod, tablet, e o que mais surgir para "facilitar" a nossa vida. A sacola retornável está se tornando um objeto de uso comum associado. Assim como lembramos do óculos solar ou do boné quando o sol está forte, lembraremos da sacola retornável quando pensarmos em compras de supermercado. Pode ser de pano, de plástico, de nylon, caixa de papelão, carrinho de feira. Cada pessoa adotará a forma e o material que achar melhor para fazer o transporte das compras. Pessoalmente, prefiro as sacolas retornáveis. Utilizo até duas sacolas quando vou ao supermercado, cada uma deve carregar no mínimo uns 50 litros. É muito mais fácil e confortável para carregar. Separo os produtos por área.

Minha sacola retornável dobrada
Se as embalagens dos produtos estiverem lacradas, o que é natural quando se compra algo novo, os alimentos não terão contato com o desinfetante, por exemplo.

Contra ou a favor

O acordo está feito e a decisão já foi tomada. Proponho que cada um de nós refaça essa pergunta 2 anos após a proibição. Tenho certeza que até lá, ao cidadão comum, não caberá mais dúvidas. A mim não cabe faz tempo, sou contra a banalização do plástico e sua utilização sem limites em uma sociedade sem uma logística reversa de resíduos eficiente.

O Instituto EcoFaxina nunca enxergou o plástico como um vilão. Vilão é o ser humano que administra muito mal os recursos naturais deste planeta e só agora está começando a acordar para a realidade de que são limitados e que várias espécies estão pagando o preço com a própria existência.




Bactérias na sacola

Mantenha sempre bem higienizada a sacola retornável, assim como faz com seu sofá, seu colchão, etc. Você não precisa virar um caçador de bactérias. Lembre-se, convivemos com trilhões de bactérias em nosso corpo, desde o fio de cabelo ao dedo do pé. E pode ter certeza, toda vez que abraçar e beijar o seu cachorro você receberá muito, mas muito mais batérias que dos alimentos da sua sacola retornável!

Conviver com bactérias faz parte da vida, não estaríamos aqui se não fosse por elas. Claro, higienize adequadamente seus alimentos antes de armazená-los no armário ou na geladeira e também antes de consumi-los. Fazendo isso você diminui a probabilidade de contaminação dos alimentos e de ocorrerem possíveis infecções gastrointestinais.

O médico André Luiz de Rezende, doutor gastroenterologista e endoscopista do Instituto Brasiliense de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva (Ibed), explicou ao Correio Brasiliense que a infecção alimentar acontece especialmente no intestino, onde ocorre todo o trânsito gastrointestinal. “Existem as bactérias ‘boas’, que ajudam na digestão, na absorção e no processamento do bolo alimentar, mas também há as ‘ruins’”, detalha. Caso as ‘ruins’ fiquem em maior número, o corpo responde na forma de cólicas, diarreia, formação de gases e distensão da barriga. A mudança de horário das refeições e muitos alimentos ricos em gordura e açúcar e pobres em fibras são as principais razões para que isso ocorra".

Resumo da ópera

Curta o verão. Faça compras com sua sacola retornável, lave bem os alimentos, alimente-se bem e beba bastante água. Seja consciênte, consuma produtos de empresas sustentáveis, separe seu lixo, tenha uma composteira com trilhões de bactérias...

E sempre que observar uma sacolinha voando agarre sem vergonha, porque a pessoa que deixou ela voar fez isso também sem vergonha!
.