Uma onda crescente de detritos e o que nós podemos fazer a respeito

Compartilhe:

Por William Rodriguez Schepis

Estamos todos conectados ao oceano global. A desanimadora quantidade de lixo nos mares, praias e estuários afetam a saúde do sistema de apoio à vida da Terra, o oceano, e todas as coisas vivas nele. O nosso lixo é mais do que uma mancha na natureza, é uma ameaça potencial para a nossa oferta de alimentos, ao turismo e à atividade econômica, à fauna marinha e ecossistemas, e para a nossa saúde pessoal. Até mesmo no que diz respeito aos impactos nas alterações climáticas.


É tempo de percebemos que todos nós - a grande parcela da população mundial que habita zonas costeiras, ou que vive a milhares de quilometros - estão intimamente ligadas ao oceano. O oceano forma o sistema de apoio da vida na Terra . Termostato planetário, cria as condições meteorológicas (boas e más). A última fonte de água e muito do oxigênio que respiramos. Alimenta diretamente milhões de pessoas. Ele também absorve a maior parte da poluição do ar e da água, gerada por uma população mundial próxima de sete bilhões.

Mas o nosso oceano está doente, e as nossas ações são responsáveis por isso. Temos de reconhecer que o oceano está indissociavelmente ligado a nós. Quando nós permitimos que lixo entre no oceano, nós afetamos diretamente a sua saúde. Afetamos a nossa própria saúde e bem-estar.

Apesar de toda a vida maravilhosa e de benefícios fornecidos pelo oceano, a maioria das pessoas ainda não entendem o que está realmente em jogo. Toda riqueza provinda do oceano, na verdade, o futuro da vida na Terra, estão ameaçados. Temos que encontrar maneiras de melhorar a saúde do oceano. Temos de fazer o oceano mais resistente aos impactos negativos já postos em marcha pelo excesso de lixo na água do mar.

Agir contra o grande problema da poluição marinha é a certeza de fazer uma mudança imediata para melhor.

A consciência sobre a atenção com o oceano e suas ligações com o planeta é crescente, conforme indicado pela grande participação de pessoas em ações de limpeza reportadas em 2008 para a Ocean Conservancy. Desde o litoral do estado de Nebraska nos Estados Unidos, ao longo do oceano, ultrapassando fronteiras com países como Moçambique, 390.000 pessoas em 104 países, cada um apreocupada com o destino do nosso planeta, andaram nas margens de estuários e praias coletando lixo. Entre eles foram mais de 10.600 mergulhadores e mais de 1.200 velejadores. Estes voluntários não só limparam lixo, mas registraram dados sobre o que coletaram. Estas informações, acumuladas ao longo dos 23 anos de história de limpeza, são fundamentais para uma maior sensibilização para este problema mundial e para implementar mudanças políticas para enfrentá-la.

O oceano planetário cobre mais de dois terços do nosso planeta. Representa 99% do espaço livre na Terra. Desde o início da história humana, temos acreditado que fosse infinito, mas não é. Nós simplesmente não podemos continuar a pôr o nosso lixo no oceano. As provas disso são as vidas marinhas encontradas, dia após dia, mortas e feridas, praias sujas que desencorajam turistas e bloqueiam ecossistemas oceânicos. Para manter o círculo da vida intacta e saudável, é preciso agir agora.

Referências: Ocean Conservancy

.