Florestas de mangue em declínio em todo o mundo

Compartilhe:

19/04/2010 - Surfbirds News


Mais de uma em cada seis espécies de árvores de mangue em todo o mundo estão em perigo de extinção devido ao desenvolvimento costeiro e outros fatores, incluindo as alterações climáticas, exploração florestal e a agricultura, de acordo com a primeira avaliação global sobre o estado de conservação dos manguezais pela Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN.

Como resultado, 11 das 70 espécies arbóreas de manguezal (16 por cento) que foram avaliadas serão colocadas na Lista Vermelha da IUCN. As costas atlântica e pacífica da América Central são áreas particularmente afetadas, com 40 por cento das espécies consideradas ameaçadas.

Manguezais são vitais para as comunidades costeiras pois eles protegem a faixa litorânea de danos causados por ondas, erosões e tempestades, e servem como um berçário para peixes e diversas espécies marinhas que dão suporte a comunidades marinhas. Além disso, eles têm uma capacidade incrível de seqüestrar carbono da atmosfera, e servem como fonte e repositório de nutrientes e sedimentos para outros habitats costeiros marinhos, tais como leitos de algas marinhas e recifes de coral.

O estudo aparece na revista científica PLoS ONE. Ele foi realizado pela Unidade de Avaliação Global de Espécies Marinhas (GMSA), que faz parte da Unidade de Avaliação da Biodiversidade, uma iniciativa conjunta da IUCN e da Conservação Internacional, juntamente com especialistas mundiais em manguezaiss.

"A perda potencial dessas espécies é um sintoma da destruição e da exploração generalizada das florestas de manguezais", diz Beth Polidoro, pesquisador associado do GMSA em Old Dominion University e principal autor do estudo. "Os manguezais formam um dos mais importantes habitats tropicais que suportam muitas espécies, e sua destruição afetará a biodiversidade marinha e terrestre amplamente."

As florestas de mangue crescem onde a água salgada encontra a praia em regiões tropicais e subtropicais, servindo assim como uma interface terrestres, de água doce e ecossistemas marinhos. Essas florestas fornecem pelo menos 1,6 bilhões de dólares cada ano em serviços ao ecossistema.

É necessária uma proteção urgente de duas espécies de mangue que são listadas como criticamente ameaçadas, o nível mais próximo de extinção, pela Lista Vermelha da IUCN, Sonneratia griffithii e Bruguiera hainesii.

Sonneratia griffithii é encontrada na Índia e no Sudeste Ásia, onde 80 por cento de toda a área de manguezais foi perdida nos últimos 60 anos. Bruguiera hainesii é também uma espécie rara e cresce apenas em alguns locais fragmentados na Indonésia, Malásia, Tailândia, Singapura, Myanmar e Papua Nova Guiné. Estima-se que há menos de 250 árvores adultas das espécies remanescentes.

"A perda dos manguezais terá devastadoras consequências ambientais e econômicas", diz Greg Stone, vice-Presidente de Programas Marinhos da Conservação International. "Esses ecossistemas não são apenas uma parte vital componente dos esforços para combater as alterações climáticas, mas também fonte de biodiversidade, proteção contra condições meteorológicas extremas, fonte de alimento e renda. "

.