Imagens de satélite mostram que a perda de florestas de mangue no mundo é muito mais grave do que se estimava

Compartilhe:

28/08/2010 - Jeremy Hance / mongabay.com

Novos dados de satélite mostram que as ações humanas estão acabando com as florestas de mangue mais rápido do que estimativas anteriores. Conduzido pela US Geological Survey e a NASA, os pesquisadores descobriram que os manguezais constituem 12,3 por cento menos espaço do que o anteriormente estimado. No total, os satélites revelam que as florestas de manguezais cobrem aproximadamente 53.290 milhas quadradas (137.760 km ²) do planeta.

"Nossa avaliação mostra, pela primeira vez, na medida exata a distribuição das florestas de mangue do mundo em 30 metros de resolução espacial, a mais alta resolução já vista," disse o Dr. Chandra Giri do USGS.

Proporcionando a melhor imagem da cobertura de mangue, o estudo constatou que a Ásia concentra a maior parte de manguezais do mundo, com 42%, seguida pela África com 21%, do América do Norte e América Central, com 15%, Oceania, com 12%, e América do Sul com 11%.

No entanto, o estudo "revela que 75% dos manguezais estão em apenas 15 países, dos quais somente 6,9% são protegidos pela rede de áreas protegidas já existentes", disse Giri.

Apesar dos governos protegerem tão poucas florestas de mangue, essas florestas tropicais adaptadas a salinidade são um dos ecossistemas mais importantes do mundo. Os manguezais servem como berçários para uma grande variedade de peixes marinhos, que sustentam a pesca mundial e garantem a segurança dos alimentos complementares em alguns países em desenvolvimento. Além disso, eles armazenam enormes quantidades de carbono e fornecem proteção contra a erosão marinha. Em tudo o que tem sido estimado que os manguezais fornecem pelo menos US $ 1,6 bilhões em serviços do ecossistema anualmente.

Estudos recentes comprovam que os manguezais protegem populações humanas e bens contra as tempestades tropicais. Durante o devastador tsunami de 2004 no sudeste da Ásia, regiões com manguezais sofreram menos danos do que aquelas sem. Literalmente, os manguezais salvam vidas.

"A estimativa atual das florestas de mangue do mundo é menos da metade do que era antes, grande parte encontra-se em estado degradado", disse Giri. "Acredita-se que 35% dos manguezais foram perdidos de 1980 a 2000, e isso está gerando um forte impacto sobre as comunidades costeiras."

Integrando os 11% de manguezais da América do Sul, o estuário de Santos abriga florestas de manguezais que recebem severo impacto ambiental, com perdas díarias em sua área de cobertura e despejo irregular de resíduos sólidos e esgoto sem tratamento. Fotografia tirada em 22/08/2010.
© Instituto EcoFaxina

Os manguezais são perdidos para uma variedade de impactos, incluindo a hurbanização e ocupação irregular, utilização não sustentável, agricultura e aquicultura, tais como fazendas de camarão e campos de arroz, e a elevação do nível do mar devido às alterações climáticas.
.