Participe! Neste sábado acontece o 25º Dia Mundial de Limpeza Costeira

Compartilhe:

24/09/2010 - Jaymi Heimbuch / Treehugger

Este sábado, 25 de setembro marca o "25th International Coastal Clean-Up Day".

Ao longo desses 25 anos,
os esforços tem feito milagres com o lixo marinho - no ano passado quase meio milhão de voluntários em 108 países coletaram 3.175 toneladas de detritos marinhos. E mesmo com essa enorme quantidade de lixo retirado de ambientes marinhos, ainda há muito mais flutuando por aí. De fato, o relatório de 2010 da Ocean Conservancy, organização sem fins lucrativos que organiza e sedia o evento anual, mostra estatísticas chocantes sobre o que foi coletado no ano passado, e o que ainda está lá fora, pondo em perigo a vida selvagem. Confira alguns dos números incríveis.


Segundo o relatório da Ocean Conservancy, "Os quase 200.000 itens computados durante o Dia Mundial de Limpeza Costeira 2009, representam uma ameaça direta à saúde pública. Resíduos como aparelhos eletrônicos, baterias, peças de carro, e embalagens com produtos químicos, podem liberar compostos tóxicos na água, enquanto resíduos de higiene pessoal e medicinais (preservativos, fraldas descartáveis, seringas, compressas) pode transmitir bactérias e outros contaminantes. Os voluntários encontraram em todo o mundo 15.076 seringas durante a limpeza de 2009."

Mas os itens que ameaçam os seres humanos parecem ridículos quando comparados com o que fazem à vida selvagem. Nós vimos algumas imagens do fotógrafo Chris Jordan mostrando como o lixo marinho pode ser letal para as aves, e os voluntários do Dia Mundial de Limpeza Costeira também testemunharam esses problemas. Durante o ano passado, encontraram 336 pássaros e animais emaranhados - 120 vivos e 216 já mortos. E isso é apenas o que foi encontrado - a grande maioria morre fora do alcance dos nossos olhos e lentes.

"O lixo marinho é sintomático de um mal-estar geral: é notório o desperdício e a persistente má gestão dos recursos naturais. Os sacos plásticos, garrafas e outros detritos que se acumulam nos oceanos e mares poderiam ser drasticamente reduzidos com a diminuição dos resíduos, iniciativas de logística reversa e recuperação ambiental dos ambientes impactados", diz Achim Steiner, diretora executiva do Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas.

Nós nos tornamos muito acostumados com a idéia de "descartáveis", mas a verdade é que não existe tal coisa como "ausente", que você possa se livrar. Tudo acaba em algum lugar. E esperamos que neste sábado, muito do que tem sido descartado de maneira irresponsável seja recolhido por voluntários.

Cadastre-se para ser um desses voluntários de campo neste sábado, 25 de setembro!

Voluntários posam para foto com uma grande rede de pesca abandonada coletada no estuário de Santos
© Instituto EcoFaxina
.