Negócios com fauna acompanhante de arrasto "vão levar a uma catástrofe ecológica", diz estudo

Compartilhe:

22/11/2010 - Heok Hee Ng / Practical Fishkeeping

Ir ao mercado mais próximo para pegar um pouco peixe lagarto ou peixe crocodilo (peixes tradicionalmente considerados como carne ruim) para a mesa de jantar está rapidamente se tornando uma realidade em algumas partes do mundo. Este é o resultado da comercialização de capturas acidentais (espécies menos desejáveis que são capturadas acidentalmente e, tradicionalmente, descartadas).

Esta tendência tem consequências desastrosas para os ecossistemas marinhos do mundo, destacou um estudo publicado em uma edição recente da revista Conservation Letters.

Aaron Lobo e co-autores revelaram este triste cenário ao longo da costa de Coromandel (no sudeste da Índia), após a realização de extensas pesquisas sobre a pesca de arrasto na região entrevistando os donos de embarcações e os comerciantes de espécies capturadas acidentalmente.


Na pesca de arrasto, a biodiversidade tem nome: "fauna acompanhante" ou "captura acidental", que supera em até 5 vezes a biomassa das espécies alvo. Para 1 quilo de camarão capturado, 5 quilos de diversas espécies são mortas, na maioria das vezes indivíduos imaturos, que tiveram o ciclo de vida interrompido antes de gerar descendentes.
© NOAA

A partir das informações obtidas, os autores reconstruíram tendências de renda, com os valores das capturas acidentais e as capturas de espécies comercializáveis nos últimos 30 anos.

Os autores observaram um declínio acentuado nas capturas e dos rendimentos provenientes das espécies-alvo (como camarões peneídeos, lagostas, badejos, garoupas e barracudas) sobre as últimas duas décadas.

Ao mesmo tempo, o custo operacional dos arrastões tem aumentado substancialmente a ponto de quase exceder a receita obtida com as espécies-alvo. Isto tem forçado os pescadores a vender as espécies capturadas acidentalmente (tradicionalmente descartadas), tanto para consumo humano (Por exemplo, peixe-lagarto, peixe-crocodilo e raias), bem como para a produção de alimentos para animais (por exemplo, o Apongon brasileiro, espécies de ouriço e o camarão mantis) para apoiar o rápido crescimento da indústria avícola da região.

Ao reduzir o desperdício e melhorar os meios de subsistência, a crescente dependência de capturas acidentais para sustentar a pesca de arrasto na costa de Coromandel tem o potencial de explorar espécies comercializáveis até o ponto de extinção econômica, do qual nunca mais irão se recuperar.

Sem uma gestão sustentável, as capturas acidentais propiciando o prolongamento da pesca de arrasto ao longo da costa de Coromandel, vão levar os ecossistemas marinhos a uma catástrofe ecológica, alertam os autores.