Internautas opinam sobre o mau hábito na hora de descartar o lixo

Compartilhe:

25/01/2011 - A Tribuna On-line


Conhecidas pelos seus belos jardins, que inclusive estão no Livro dos Recordes, as praias de Santos são o ponto preferido para os moradores da região e turistas. Nesta segunda-feira, a Cidade não deu conta de tanto lixo jogado na areia e à beia-mar.

Segundo a TV Tribuna, por volta das 11 horas ainda havia detritos. A Prefeitura foi procurada e informou que as equipes iniciaram a limpeza ainda de madrugada, mas que o feriado prolongado teria contribuído para que a situação ficasse fora de controle.

Além do lixo, a Cidade convive com os entulhos despejados em ruas e avenidas e, que, às vezes, ficam esquecidos por muito tempo. Esse mau hábito de jogar lixo no lugar errado acaba agravando o problema de alagamentos durante os temporais.

Para os internautas, que opinaram durante toda a segunda-feira no portal de A Tribuna On-line, em primeiro lugar, falta conscientização. "O problema do lixo não é tão simples, primeiro nossa cidade recebe muitos turistas, depois nós vivemos em uma sociedade de consumo onde a produção de detritos é bem grande, e depois a falta de educação e de conscientização da população é muito grande e isso não muda do dia para noite, infelizmente", diz Artur.

A internauta Maria Aparecida Neves Friedrichi acrescenta: "Mesmo se não houvesse lixeiras ao longo da orla e nos quiosques, as pessoas deveriam carregar seu lixo e depositá-lo nas lixeiras fixas e, em último caso, que levassem para suas casas. Lugar de lixo é no lixo, não é?".

Ambulantes

"A questão do lixo tem que passar também pela responsabilização dos carrinhos de ambulantes e dos bares e ambulantes fixos. Grande parte do lixo é resultado de suas atividades e eles devem participar tambem da solução", cita Marcos.


Bituca de cigarro

"Por que a Prefeitura não obriga os turistas e frequentadores de praia a usarem cinzeiros para os fumantes? Da dó ver uma criança brincando na areia em meio a bitucas de cigarros. Deveriam obrigar os donos de barracas a fornecer o cinzeiro, e quem tem seu próprio guarda-sol e cadeiras seria obrigado a levar seu cinzeiro também", sugere Rodrigo.
.