Tartaruga gigante é devolvida ao mar

Compartilhe:

25/03/2011 - A Tribuna On-line

Após oito dias de tratamento no Aquário Municipal, a tartaruga-de-couro, mais conhecida como tartaruga gigante, foi devolvida na manhã desta sexta-feira ao mar.

Os procedimentos começaram por volta das 8h30, com remoção do animal até o cais da Marinha. Depois, ele seguiu em um rebocador para o Parque Marinho da Laje de Santos, a 45 quilômetros da praia. A viagem até o local tem duração prevista de quatro horas. O réptil, de cerca de 400 quilos, foi resgatado no canal do estuário no último dia 17.

© Alberto Marques

No total, 16 pessoas estão diretamente envolvidas no transporte do animal, que tem apoio da Marinha. O processo começou no início da manhã. A tartaruga foi içada do aquário e colocada em uma pequena piscina, na qual foi transportada até o Porto de Santos. Lá, foi içada novamente e colocada em um rebocador. A embarcação deixou o Terminal da Marinha às 11h30.

"Provavelmente, ela tem uma infecção que pode ter sido provocada pela ingestão de algum material, como saco plástico", disse o veterinário Gustavo Dutra, do Aquário Municipal. Ele se revezou com a veterinária Cristiane Lassálvia no tratamento do animal, com envolvimento dos biólogos do parque e voluntários.

Segundo Dutra, a permanência da tartaruga, por mais tempo, no Aquário, poderia causar uma lesão muscular. Ela está em um tanque de 6 metros quadrados e 5 mil litros. "Foi feito o possível e esperamos que possa se recuperar naturalmente", afirmou o veterinário.

Espécie ameaçada

A tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea) foi vista por pescadores que estavam em embarcações paradas no canal do Estuário. Sentindo a dificuldade do animal, pescadores pularam na água e encaminharam a tartaruga até a parte da areia para que fosse feito o resgate.

O transporte do animal que pesa cerca de 400 kg e mede por volta de 1,80 m, sendo 1,50 somente de casco, envolveu nove pessoas, entre policiais ambientais e técnicos do Ibama.

De espécie criticamente ameaçada de extinção, o animal foi transportado com a cabeça, nadadeiras e carapaça protegidas por uma manta plástica. Cordas e redes auxiliaram na locomoção da tartaruga.
.