Limpeza dos oceanos poderia alavancar economia, diz ONU

Compartilhe:

30/01/2012 - Reuters

Poluição e excesso de pesca prejudicam saúde e produtividade dos mares. Práticas mais sustentáveis e investimentos verdes reverteriam situação.


Mares e costas mais limpos e melhor geridos ajudariam a impulsionar o crescimento econômico e a reduzir pobreza e poluição, diz um relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgado nesta quarta-feira (25).

O relatório, produzido com outras organizações da ONU, destaca o enorme potencial de uma economia baseada nos recursos marítimos, cerca de cinco meses antes de os governos do mundo se reunirem para discutir caminhos para um desenvolvimento mais sustentável, durante o Rio+20.

Cerca de 40 % da população mundial vive a menos de 100 quilômetros da costa. Assim, os ecossistemas marinhos fornecem abrigo, comida e emprego para milhões de pessoas.
Mas a poluição causada por derramamentos de petróleo, fertilizantes, esgotos, resíduos e produtos químicos, bem como o excesso de pesca, prejudicam a saúde e a produtividade dos mares.

Essa tendência poderia ser reduzida através do uso dos oceanos para alavancar uma energia renovável e eco-turismo e da mudança para sistemas de transporte e práticas de pesca mais sustentáveis. As medidas também poderiam reduzir a vulnerabilidade a mudanças climáticas de ilhas na Ásia e no Caribe, diz o Pnuma.

"Intensificar os investimentos verdes em recursos marinhos e costeiros e reforçar a cooperação internacional na gestão destes ecossistemas transfronteiriços são essenciais para que uma transição para uma economia verde de baixo carbono e uso eficiente de recursos", disse o diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner.

O relatório recomenda medidas chave para a fazer um uso mais sustentável dos mares. Elas incluem áreas como o turismo, pesca, transportes, poluição, energia renovável e mineração de águas profundas.

Limpeza

Fertilizantes, como nitrogênio e fósforo, têm contribuído para aumentar o rendimento agrícola, mas seu uso tem levado à degradação dos ecossistemas marinhos e de águas subterrâneas. A quantidade de nitrogênio nos oceanos aumentou três vezes a partir de níveis pré-industriais e pode crescer mais três vezes até 2050 se nenhuma ação for tomada.

A poluição marinha custa US$ 100 bilhões somente na União Europeia, de acordo com o relatório. Isso pode ser reduzido por uma regulação mais dura do uso de fertilizantes e através de subsídios para incentivar a reciclagem de nutrientes.

A economia mundial também poderia ganhar até US$ 50 bilhões por ano com a recuperação da populações de peixes e redução da pesca, de acordo com a Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação e o Banco Mundial.
.