Lavar roupas polui o ambiente marinho com "microplástico", aponta estudo

Compartilhe:


19/03/2012 - Mark Kinver / BBC - Tradução: IEF

Partículas microscópicas de plástico que saem das roupas lavadas estão se acumulando no ambiente marinho e podem estar entrando na cadeia alimentar, alerta estudo.

Os pesquisadores rastrearam o microplastico de roupas sintéticas, que lançaram até 1.900 minúsculas fibras de vestuário cada vez que foram lavados.

Pesquisas anteriores mostraram que plásticos menores que 1mm são comidos por animais e entrar na cadeia alimentar.

As concentrações de microplastico são maiores perto de áreas costeiras urbanas, mostrou o estudo

Os resultados foram apresentados na revista Environmental Science and Technology.

"A pesquisa que tinha feito antes mostrou que de todos os pedaços de plástico no meio ambiente, cerca de 80% é composto de pequenos pedaços", disse o co-autor Mark Browne, um ecologista com base na Universidade da California, em Santa Barbara.

"Isso nos levou a querer saber que tipos de plástico estão lá e de onde eles vêm."

Dr Browne, um membro do Centro Nacional para Análises e Sínteses Ecológicas, disse que o microplástico é uma preocupação, porque as evidências mostraram que ele esta fazendo o seu caminho na cadeia alimentar.

"Uma vez que o plástico é ingerido, ele é transferido dos estômago do animail para o seu sistema circulatório e acumulam nas células", disse à BBC News.

A fim de identificar a amplitude da presença de microplastico nas regiões costeiras, a equipe coletou amostras de 18 praias ao redor do globo, incluindo o Reino Unido, Índia e Cingapura.

"Nós descobrimos que todas as amostras do mundo contêm microplastico."

As fibras mais finas pode acabar causando problemas enormes em todo o mundo

Dr. Browne acrescentou: "A maioria do plástico parecia ser fibroso."

Minúsculas fibras de plástico que podem causar enormes problemas por todo o mundo

"Quando olhamos para os diferentes tipos de polímeros que encontramos, fomos descobrindo que acrílico, poliéster e poliamida (nylon) compõem a grande maioria."

Os dados mostram também que a concentração de microplastico foi maior nas zonas próximas a grandes centros urbanos.

A fim de testar a idéia que emissários de esgoto são a fonte de plástico, a equipe trabalhou com uma autoridade local em New South Wales, Austrália.

"Nós encontramos exatamente a mesma proporção de plásticos", revelou Dr. Browne, o que levou a equipe a concluir que suas suspeitas estavam corretas.

Como resultado, Dr. Browne e seu colega, o professor Richard Thompson da Universidade de Plymouth, no Reino Unido realizaram uma série de experimentos para ver que tipo de fibras eram contidas na descarga de água das máquinas de lavar.

"Ficamos muito surpresos. Algumas roupas de poliéster lançaram mais de 1.900 fibras por roupa, por lavagem," Dr. Browne observou.

"Pode não parecer muita coisa, mas é a partir de um único item, em uma única lavagem e mostra como as coisas podem se acumular.

"Isso nos sugere que uma grande proporção das fibras que foram encontradas no meio ambiente, a evidência mais forte, foi derivada do esgoto, em conseqüência da lavagem de roupa."
.