Maior favela sobre palafitas do Brasil abriga 6 mil famílias em Santos

Compartilhe:

12/06/2012 - Profissão Repórter

Cerca de 20 mil pessoas moram no dique da Vila Gilda de forma precária e em meio ao lixão. Programa mostra como estão os manguezais brasileiros.

Na semana em que começa a Rio +20, o Profissão Repórter mostra como estão os manguezais brasileiros. 70% da vida marinha de nossa costa depende dos manguezais em algum momento do ciclo de vida.

Caco Barcellos visitou o povoado de Tejucopapo, em Pernambuco, onde 200 famílias vivem exclusivamente do mangue. E registrou a pesca tradicional de caranguejos. No povoado de Cueiras, conheceu uma família de mulheres pescadoras. Dona Socorro e as cinco filhas passam o dia pescando e limpando siris. O trabalho paga os estudos de uma das filhas, Verônica, que faz faculdade de pedagogia.

A repórter Valéria Almeida mostra como é a vida na maior favela de palafitas do país, o dique da Vila Gilda, em Santos. Por lá seis mil famílias vivem de forma muito precária e em meio ao lixo na região que já foi ocupada por um mangue. Ela conversou com seu Marruco, o morador mais antigo do lugar, e com Anderson, carpinteiro de profissão, que vive de fazer reparos nos barracos avariados pela maré.

Degradação do manguezal no Dique da Vila Gilda, Zona Noroeste de Santos, uma vergonha para o estado de São Paulo
Crédito: Istituto EcoFaxina

Thiago Jock foi para a reserva biológica de Lagamar, no litoral sul de São Paulo. Nesse trecho do litoral fica um dos manguezais mais bem preservados do país. E mostra uma experiência bem sucedida de convívio entre o homem e natureza. Seu Francisco é um criador de ostras que viajou o mundo para falar de preservação. Mario administra a cooperativa de ostras de Cananéia, com 52 famílias.

Em Timbaú do Sul, no Rio Grande do Norte, mostramos uma fazenda de camarões que existe há 150 anos. A reportagem mostra o percurso da família Marinho, que teve que se adequar aos novos tempos e trabalhar pensando em preservar o meio ambiente.
.