Santos sanciona lei que proíbe descarte de lâmpadas fluorescentes

Compartilhe:

06/07/2012 - G1

Cidade conta com dois locais públicos para a coleta do material. Os infratores terão que pagar uma multa de R$ 50 por lâmpada.

As lâmpadas fluorescentes contém mercúrio, um metal pesado que causa problemas respiratórios, neurológicos, gastrintestinais e até levar a morte. Se liberado no solo este metal pode atingir o lençol freático e contaminar rios, lavouras, animais, e por fim os seres humanos.

A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, sancionou nesta semana a lei complementar 774, que proíbe o descarte de lâmpadas fluorescentes usadas em aterros sanitários e depósitos de lixo. Para fazer valer a nova determinação, a cidade conta a partir desta sexta-feira (6) com dois locais públicos para a coleta destas lâmpadas.

A população pode descartar o material nas caixas próprias para armazenamento de lâmpadas tubulares e compactas que podem ser encontradas nos postos de coleta que ficam no Jardim Botânico Chico Mendes, que fica na rua João Fraccaroli s/nº, na Zona Noroeste de Santos e no Laboratório de Controle Ambiental, da Secretaria de Meio Ambiente, no posto 3 da praia.

O consumidor pode optar também pelo descarte nas grandes lojas de materiais de construção, que encaminham para os fabricantes, responsáveis pelo recolhimento e descontaminação.
Aqueles que desrespeitarem a lei terão que pagar uma multa de R$ 50 por lâmpada, parte ou componente descartado incorretamente.
.