Falta de oxigenação na água provoca mortandade de peixes na Lagoa Rodrigo de Freitas

Compartilhe:

10/12/2012

Calor e falta de chuva deixaram água pouco oxigenada, diz Secretaria. Biólogo diz que peixes precisam subir até a superfície para buscar oxigênio.

Lagoa amanheceu com mortandade de peixes (Foto: Gabriel de Paiva/ Agência O Globo)

A mortandade de peixes mudou o visual da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (10). De acordo com a Secretaria municipal de Meio Ambiente, a morte dos peixes foi provocada pela redução de oxigênio na água.

Foram encontrados tainhas, manjubas, linguados e savelhas. Além disso, foram localizados alguns siris na parte externa dos cais. Segundo os pescadores, há indícios de que uma mortandade maior possa ocorrer nas próximas horas.

A falta de oxigenação é resultado das elevadas temperaturas dos últimos dias e da ausência de chuva no Rio. Entre 8h e 10h desta segunda, o nível de oxigênio da água da lagoa era zero, segundo a Secretaria. Ainda não há informações sobre a quantidade de peixes mortos.

O biólogo Mário Moscatelli explicou que, pela manhã, a água da Lagoa já estava pouco oxigenada, já que os peixes subiam até a superfície para buscar oxigênio. “Os animais da Lagoa estão indicando que a água está com pouco oxigênio”, concluiu.

Fontes: G1 e Agência O Globo