Peixe de Fukushima tem radiação 2.500 vezes maior que limite legal

Compartilhe:

23/01/2013

Espécime foi capturado para monitoramento em área de desastre. Tsunami atingiu usina no Japão em 2011, dispersando material nuclear.

Fonte: Ministério da Defesa do Japão

Um peixe capturado com a finalidade de realizar um monitoramento próximo da central nuclear de Fukushima, onde aconteceu o acidente nuclear em 2011, apresenta um nível impressionante de contaminação radioativa, quase 2.500 vezes superior ao limite legal fixado pelo Japão, anunciou nesta sexta-feira (18) a operadora da usina.

Fonte: Ministério da Defesa do Japão

A companhia Tokyo Electric Power (TEPCO) declarou que mediu o nível de contaminação em um peixe conhecido como 'murasoi', encontrando uma quantidade de césio radioativo igual a 254.000 becquereles por quilo, ou seja 2.540 vezes o limite de 100 becquereles/kg definido para os produtos marinhos pelo governo.

Esse animal, da família dos peixes escorpião, foi capturado na baía próxima à central Fukushima Daiichi, situada na costa noroeste do Japão, na beira do Pacífico.

Este complexo nuclear foi atingido em 11 de março de 2011 por um tsunami provocado por um terremoto, que devastou quatro de seus seis reatores, dispersando na natureza grandes quantidades de sustâncias radioativas.

A TEPCO instalará novas redes em volta da usina para evitar que peixes altamente contaminados fiquem no local e sejam devorados por outras espécies.

Fonte: AFP/G1