Bacalhau começa a se recuperar no Mar do Norte

Compartilhe:

14/06/2013

Podemos chamar de retorno do bacalhau, ou, pelo menos, o início. O peixe tem sido tão sobreexplorado que o consumidor eco-consciente o evita, mas os estoques no Mar do Norte estão subindo.


Se a recuperação continuar, o peixe poderia qualificar-se para aprovação do Marine Stewardship Council (MSC), um selo que indica que o peixe atende aos padrões do organismo independente para a sustentabilidade, diz um relatório da MSC e outras organizações de pesca. Isto de acordo com uma avaliação da Comissão Europeia no mês passado, que apontou uma recuperação do bacalhau.

Colapso da população: gráfico mostra o número de capturas por década

Mas é muito cedo para uma festa com bacalhau e batatas fritas. "Sérias preocupações permanecem", afirma a Comissão na sua avaliação. A União Europeia reduziu as capturas de bacalhau e o número de dias permitidos para a pesca de bacalhau. E desde o ano passado, as embarcações são obrigadas a deixar as áreas de pesca se as redes capturarem muitos filhotes de bacalhau -, mas "ainda há muito a ser feito", afirma a Comissão.


A população está ainda a menos da metade do nível considerado seguro ao colapso, e as capturas estão acima do máximo considerado sustentável, principalmente por causa das capturas acidentais de bacalhau na pesca de outros peixes.

A boa notícia, diz Saskia Richartz do grupo ambientalista Greenpeace, é que nos últimos três anos vimos altos níveis de desova do bacalhau e boas taxas de sobrevivência dos alevinos. No entanto, Saskia teme que a boa notícia aumente a pressão por capturas antes que estes peixes jovens possam se reproduzir.

Fonte: NewScientist