Pela primeira vez na história uma praia em Fernando de Noronha é interditada por poluição

Compartilhe:

25/09/2013

Praia do Cachorro foi fechada por conta do despejo de esgoto irregular que está sendo feito pela Companhia Pernambucana de Saneamento.

Turistas não terão acesso enquanto a praia do Cachorro estiver poluída.
Turistas não terão acesso enquanto a praia estiver poluída. Crédito: Ana Clara Marinho

Mapa Praia do Cachorro
Clique para ampliar
A Praia do Cachorro, em Fernando de Noronha, foi interditada pela Administração da Ilha no início da tarde desta terça (24). A interdição é temporária e vigora, inicialmente, até sexta-feira (27). A ação foi tomada por conta do esgoto que a Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa, está despejando irregularmente na praia. É a primeira vez na história que uma praia é interditada na ilha por poluição ambiental. A denúncia foi feita pelo blog Viver Noronha. O governo local fez uma reunião de emergência e enviou para a área técnicos das vigilâncias Ambiental, em Saúde e ainda do Coordenadoria de Meio Ambiente.

Situada logo abaixo da Fortaleza dos Remédios, esta praia possuía uma fonte com a cara de um cachorro, em bronze, vindo daí o seu nome.
Situada logo abaixo da Fortaleza dos Remédios, esta praia possuía uma fonte com a cara de um cachorro, em bronze, vindo daí o seu nome. Crédito: Ana Clara Marinho

Além de isolar a área, os turistas, os moradores e os comerciantes foram orientados a deixar a praia. “O primeiro passo é evitar que as pessoas tenham contato com a água do mar que pode estar contaminada. Nós temos a preocupação em zelar pela saúde da população e dos visitantes. A Compesa vai ser notificada e será multada pela Administração do Distrito”, informou Fernando Magalhães, gerente da Vigilância em Saúde.

O esgoto segue para a praia. Crédito: Ana Clara Marinho

A medida foi aprovada por quem recebeu a informação. “Eu acho importante, se é necessária que seja feita”, disse Lourival Lourenço, turista paraibano. “Eu acho que se for bom para todo mundo, deve ser feito”, afirmou José do Nascimento Silva, comerciante local. “Não é de hoje que este problema acontece. Estamos perdendo clientes que não suportam o mau cheio, o prejuízo é grande, espero que agora o problema seja resolvido”, disse Ney Martins, dono do Bar do Cachorro. “Esse é um problema que existe desde que a Compesa chegou a Fernando de Noronha, temos que apoiar a interdição”, falou Galdino Alves, conhecido como Manoel Cachorrão, morador da praia.

Técnicos da administração da ilha isolaram a área. Crédito: Ana Clara Marinho

Uma equipe do Instituto Chico Mendes - ICMBIO, responsável pela Área de Proteção Ambiental-APA (região que abrange a Praia do Cachorro), também esteve no local. Os analistas ambientais tinham por objetivo interditar a praia, mas como a ação já havia sido feita pelo Governo do Estado, os fiscais federais fizeram a vistoria  e orientaram que as pessoas que se encaminhem para a Praia do Meio (que é ao lado do Cachorro), também sejam informadas do problema. A Administração da Ilha vai manter profissionais no Cachorro esclarecendo os motivos da interdição.

A equipe permanecerá no local fiscalizando. Crédito: Ana Clara Marinho

O analista ambiental do Chico Mendes, Eduardo Macedo, revelou que a Compesa é reincidente no crime ambiental na mesma praia. Por conta disso, e da falta de Licença Ambiental para operação, a companhia foi multada pelo ICMBIO. “Estamos lavrando dois autos e a multa deve chegar aos 600 mil reais”, afirmou Eduardo Marcelo.

A água está visivelmente poluída. Crédito: Ana Clara Marinho

O gerente da Compesa, Djair Pinto, acompanhou o final da vistoria do Instituto Chico Mendes. Ele informou que os técnicos responsáveis para manutenção da Estação Tratamento do Sítio Histórico chegam à ilha nesta quarta-feira (25). “Logo que os técnicos chegarem iniciaremos o trabalho,  eu acredito que até a quinta (26) teremos concluído a manutenção”, previu Djair Pinto.


Fonte: Globo.com/Viver Noronha