44ª Ação Voluntária EcoFaxina retira 960 kg de lixo em área de preservação

Compartilhe:

10/03/2014 

A ação foi a terceira da série TOP Skol - Transtorno Obsessivo por Praia, que incentiva projetos de referência no segmento. 

A limpeza de parte do manguezal foi feita com a ajuda de uma embarcação cedida pelos moradores. Crédito: Eduardo Amaro Silva / Instituto EcoFaxina

A 44ª Ação Voluntária EcoFaxina de Limpeza e Conscientização Ambiental encerrou neste último domingo, 09/03, a série de três ações que tiveram patrocínio do projeto TOP Skol – Transtorno Obsessivo por Praia, que promove melhorias na qualidade das praias apoiando projetos de referencia no segmento.

A Ação contou com 46 voluntários que retiraram 960 kg de lixo de uma área de mangue na Zona Noroeste de Santos, nas comunidades do Mangue Seco e Butantã, onde vivem 450 famílias e mesmo local da 42ª Ação Voluntária EcoFaxina, quando foram retirados 266 kg, totalizando 1.226 kg que estavam neste trecho de área de preservação. Entre os detritos, muitos eletroeletrônicos como aparelhos de som, televisores, DVDs e muito plástico, que é o principal foco da coleta.

Voluntárias coletam lixo descatado no manguezal de forma irregular pelos moradores das palafitas. Crédito: Eduardo Amaro Silva / Instituto EcoFaxina

Além da retirada de detritos, o grupo entregou panfletos de porta em porta com informações sobre os efeitos nocivos ao meio ambiente, saúde, turismo, pesca e navegação, que são causados pelo descarte irregular de lixo. “As pessoas começam a entender que não é bom sujar o mangue”, explica André Ribeiro, presidente da associação local de moradores, que apoiou a atividade, sobre a importância desse projeto na comunidade.

Além da retirada de detritos, o grupo entregou panfletos de porta em porta com informações sobre os efeitos nocivos ao meio ambiente, saúde, turismo, pesca e navegação, que são causados pelo descarte irregular de lixo.Crédito: Eduardo Amaro Silva / Instituto EcoFaxina

Para William Schepis, biólogo marinho e fundador do Instituto EcoFaxina, um dos problemas é que as palafitas formam longos corredores - chamados de becos pelos moradores - que tornam bastante longa a condução do lixo até os contentores, que ficam em área urbanizada. “Por isso temos que investir na conscientização. Esse material acaba sendo levado pela maré até as praias, prejudica a balneabilidade, os animais marinhos e todo o ecossistema”, alerta.

Segundo William, o próximo passo é formar uma parceria com a prefeitura de Santos para envolver os jovens da comunidade na coleta e seleção dos matérias que podem ser reciclados. “Mostrar a importância do ecossistema e da limpeza, e que o lixo pode se tornar renda, tem um forte impacto na forma que as pessoas lidam com o que seria descartado inapropriadamente”, garante.

Os voluntários também distribuíram 92Kg de alimentos não perecíveis que haviam sido arrecadados no Trote Ecológico Unisanta, durante a 43ª Ação, a segunda da série TOP Skol, que envolveu calouros e veteranos da Biologia Marinha da UniSanta, na praia Saco do Major, em Guarujá, no último dia 23/02.


O Instituto - O Instituto EcoFaxina foi criado em 2008 e desde então já retirou cerca de 27,9 toneladas de lixo em 44 ações voluntárias na baía e no estuário de Santos e São Vicente. A ONG conta atualmente com apoio da Universidade Santa Cecília, Diretório Acadêmico de Biologia Marinha Unisanta e Terracom. As ações na Zona Noroeste também tiveram valoroso apoio da Associação dos Moradores do Mangue Seco e Butantã. Para saber mais sobre a ONG, viste o blog e a fanpage no Facebook.