Manguezal em Santos recebe a 44ª Ação Voluntária EcoFaxina neste domingo (9/3)

Compartilhe:

04/03/2014 

Os voluntários do Instituto EcoFaxina retornam à comunidade do Mangue Seco e Butantã, no bairro do Bom Retiro, para mais uma ação voluntária de limpeza e conscientização ambiental. O objetivo é recolher parte do lixo descartado no manguezal e conscientizar os moradores sobre os problemas causados ao meio ambiente e à saúde deles próprios.

Voluntários coletam diversos tipos de objetos e materiais no mangue. Crédito: Instituto EcoFaxina

Segundo William Schepis, fundador da ONG, esse lixo é o mesmo que os surfistas e banhistas encontram nas praias da região. “Quando a maré enche, o lixo boia e é levado pela correnteza até as praias”, explica o biólogo marinho, lembrando que o lixo também é responsável pela morte de animais e coloca em risco o ecossistema da região, já bastante prejudicado. "Além do lixo 

Será a 44ª Ação Voluntária EcoFaxina promovida pelo instituto, que já recolheu 26,9 toneladas de lixo da praias e mangues da região, e é também a terceira da série apoiada pelo projeto TOP Skol – Transtorno Obsessivo por Praia, projeto que incentiva atividades ligadas à melhoria da qualidade das praias brasileiras.

Os voluntários do Instituto EcoFaxina contarão com a ajuda da associação local de moradores, que empreende ações de conscientização ambiental em parceria com a ONG na comunidade, formada por cerca de 450 famílias.

De acordo com André Ribeiro, presidente da Associação de Moradores do Mangue Seco e Butantã, o lixo afastou a fauna do mangue. “Quando vim morar aqui havia até camarão, mas de um tempo para cá eles aparecem cada vez menos”, relata.

Os voluntários se reúnem às 8 horas em frente à Universidade Santa Cecília, que fica na rua Dr. Oswaldo Cruz, 277, no Boqueirão, e partem de ônibus fretado até o local, na Zona Noroeste. Ao término do evento, os resíduos são qualificados, quantificados e encaminhados para reciclagem e aterro sanitário.

Trote Ecológico Unisanta conscientizou calouros

Calouros e veteranos da faculdade de biologia marinha posam para a foto da ação. Crédito: Herbert Passos Neto / Instituto EcoFaxina

No dia 23/02 veteranos e calouros do curso de Biologia Marinha retiraram 320 quilos de lixo do Saco do Major, em Guarujá. O grupo saiu de escuna da ponte Edgard Perdigão, na Ponta da Praia, em Santos.

Escuna parte com os alunos de Santos para a praia do Saco do Major, em Guarujá. Crédito: Herbert Passos Neto / Instituto EcoFaxina

Esse foi o 5º Trote Ecológico Unisanta organizado pelo Instituto EcoFaxina e fez parte da 43ª Ação Voluntária de Limpeza e Conscientização Ambiental da ONG.

Com 70 pessoas presentes, entre calouros e veteranos, a ação recolheu 320 quilos de lixo da praia e dos costões rochosos, em cerca de três horas. “Se houvesse mais tempo, poderíamos ter recolhido muito mais”, relata William Schepis, fundador do instituto.

A quantidade de plástico que se acumula entre as rochas é enorme. Crédito: Herbert Passos Neto / Instituto EcoFaxina

As praias da região recebem parte do lixo descartado irregularmente no estuário, levado pela maré e por correntezas, além do material deixado por frequentadores. “Por isso esse trote é uma oportunidade para que os futuros profissionais da área comecem a entender esse processo, vendo de perto os resíduos e os impactos causados ao ambiente marinho. Além de prejuízos econômicos para o turismo, a pesca e a navegação, os resíduos, sobretudo o plástico, causam a morte de milhares de animais marinhos, pois são confundidos com alimentos por diversas espécies de animais marinhos”, explica William.

Calouros e veteranos formaram uma "corrente ecológica" para transportar o lixo da praia para a escuna. Crédito: Instituto EcoFaxina

Em 2011, o Trote Ecológico Unisanta ficou em segundo lugar no Prêmio Trote da Cidadania nas categorias Ensino Superior/Foto e Ensino Superior/Vídeo, concedido pela Fundação Educar DPaschoal, entre mais de 150 projetos de 66 instituições e em 2012 ficou em 4º lugar no geral.

Além da enorme quantidade de lixo, um filhote morto de tartaruga-verde (Chelonia mydas), encontrado no Saco do Major, também nos deixou os alunos e diretores da ONG bastante tristes. Na ocasião estavam sem os instrumentos necessários e infelizmente não foi possível realizar a necropsia. Mas é bem provável que seja mais uma vítima do plástico. Tartarugas marinhas confundem plástico com alimentos. Crédito: Instituto EcoFaxina

Além da enorme quantidade de lixo, um filhote de tartaruga-verde (Chelonia mydas) encontrado morto no Saco do Major, também deixou todos bastante tristes. Na ocasião, por não haverem instrumentos necessários, não foi possível realizar a necropsia. Mas é bem provável que seja mais uma vítima da ingestão de plástico ou de redes e espinhéis. Tartarugas marinhas confundem plástico com alimentos.

A 43ª Ação Voluntária EcoFaxina teve patrocínio do projeto TOP Skol – Transtorno Obsessivo por Praia, que incentiva ações que melhoram a qualidade das praias brasileiras.

Para saber mais sobre o Instituto EcoFaxina, viste o blog ou a fanpage da ONG no facebook. Para saber mais sobre a ação do próximo dia 09/03, entre em contato pelo telefone (13) 3301-2391 ou 99189-6060.