O PROJETO

Compartilhe:

 photo projeto-ecofaxina_zps1decf4b6.png

A caracterização recente das áreas de estudos através de dezenas de ações voluntárias, assim como pesquisas teóricas e de campo realizadas pelo Instituto EcoFaxina, geraram um conhecimento cada vez mais aprofundado sobre a dinâmica e os problemas do sistema estuarino de Santos e São Vicente. Tal conhecimento deu origem ao projeto que propõe a implantação do "Sistema Ambiental de Coleta de Resíduos". Nele, diversos fatores compõem um diagnóstico preciso do cenário de degradação propondo ações e procedimentos metodológicos para o combate à poluição por resíduos sólidos.

Procuramos adequar políticas públicas de conservação e educação ambiental às características peculiares encontradas na região, atuando em duas grandes esferas:


A. Recuperação ambiental


Ações voltadas para Geração de Renda, Recuperação e Conservação Ambiental

- IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA AMBIENTAL DE COLETA DE RESÍDUOS *

Consiste na formação de uma frente de trabalho com base na criação de uma nova profissão dentro do setor de limpeza e reciclagem, o “Agente Ambiental de Coleta de Resíduos”, responsável pelo trabalho de limpeza, reciclagem e recuperação ambiental no estuário de Santos e São Vicente.

A capacitação ocorrerá por meio de um curso com duração de duas semanas. A primeira semana envolve aulas teóricas sobre o ecossistema, sua importância ecológica e socioambiental para a região, e a metodologia aplicada para a coleta dos resíduos em manguezais e canais estuarinos. Após a semana de aulas teóricas o candidato vai a campo para uma semana de treinamento prático. Durante essa fase os trabalhadores deverão perceber a importância dos Agentes Ambientais de Coleta de Resíduos para a recuperação do ecossistema estuarino, contribuindo no processo de elevação da autoestima, fator preponderante para o sucesso do projeto.

O cadastro dos candidatos será feito em comunidades de baixa renda, em parceria com a Sociedade Pró-Melhoramentos da Vila Gilda, que atuará como facilitadora, indicando jovens desempregados com perfil de liderança local, que serão capacitados para agir como agentes multiplicadores da consciência ambiental dentro da comunidade.

No galpão os resíduos são pesados e passam por uma triagem manual, onde todo material reciclável é separado e processado, afim de se obter um material pronto para a venda. O rejeito será recolhido pela empresa de limpeza urbana, que dará a destinação final.

Os recursos para a construção do galpão de beneficiamento e a compra de equipamentos serão obtidos através de investimento social privado. Poderão também ser captados recursos junto a órgãos públicos estaduais e federais de fomento à Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A Prefeitura de Santos, em suas esferas de atuação, fornecerá o apoio necessário para a execução do projeto nas áreas que forem de sua responsabilidade e alcance, como na cessão de área de 2.000 a 4.000 m² para implantação do galpão de beneficiamento e intermediação de convênios com as empresas fornecedoras de água e energia elétrica. Cabe ainda à prefeitura fiscalizar as ações do instituto no tocante aos resultados e cumprimento do Termo de Cooperação Técnica.


Ecobarreiras e barreiras de contenção

O projeto prevê a utilização de dois equipamentos para contenção de resíduos sólidos flutuantes: ecobarreira e barreira de contenção. A ecobarreira impede a dispersão dos resíduos descartados pelas favelas de palafitas no manguezal, evitando a degradação de áreas de mangue, inclusive em outros municípios, ou alcancem a baía de Santos e o mar aberto. A implantação e operação das ecobarreiras serão conduzidas por diretores e conselheiros do Instituto EcoFaxina.


A construção das ecobarreiras será feita pelos Agentes Ambientais de Coleta de Resíduos, gerando renda, e o mais importante, despertando na comunidade o sentimento de apropriação do equipamento. A sua estrutura será composta por bombonas de 200 litros, conectores, correntes de aço e estacas. A “ecobarreira 1” terá 350 metros de comprimento e contará com estaqueamento nas extremidades e no centro, a “ecobarreira 2” terá 125 metros com estaqueamento nas extremidades. No total, serão utilizadas 480 bombonas. Estre as ecobarreiras haverá um espaço de 25 metros de largura no ponto de maior profundidade para o transito de embarcações.

Coleta e transporte dos resíduos

Os resíduos sólidos serão coletados no estuário por meio de barcos e balsas de alumínio, sendo quatro (04) barcos modelo “chata”, embarcação de baixo calado e alta estabilidade lateral, ideal para águas calmas e profundidades rasas, com propulsão por motor de popa, servindo para transporte de pessoal e reboque para duas (02) plataformas flutuantes, sendo estas, embarcações sem motorização, no formato de balsas com baixo calado e capacidade para transportar até 3 toneladas de carga.

Reflorestamento de mangue

Realizar o plantio e o monitoramento em áreas de mangue beneficiadas pelo Sistema Ambiental de Coleta de Resíduos. Tem como objetivo principal reflorestar áreas degradadas de mangue após a ações de limpeza dos “Agentes Ambientais de Coleta de Resíduos”. A equipe de trabalho será composta por diretores do Instituto EcoFaxina, Agentes Ambientais de Coleta de Resíduos e estagiários da área de Ciências Biológicas.


Pesquisas

Oportunidade de desenvolvimento de estudos e pesquisas para estudantes de diversas áreas acadêmicas.

*Minuta de Termo de Cooperação Técnica com a Prefeitura de Santos.



B. Educação Ambiental


Ações voltadas para a sensibilização e a conscientização ambiental da população

- AÇÕES VOLUNTÁRIAS ECOFAXINA



As Ações Voluntárias EcoFaxina são uma forma de chamar a atenção da população e do governo para o grave quadro de poluição por resíduos sólidos que existe em nos mangues e no mar. Ao mesmo tempo conseguem retirar o máximo possível de plástico presente nos ecossistemas costeiros e marinhos da região. São também uma ferramenta de pesquisa e educação ambiental, que por meio da sensibilização e do trabalho em equipe, propiciam uma nova perspectiva do problema para quem os acompanha. Essa intensa troca de informações e experiências promove a real perspectiva do problema na população”.

Seguindo a metodologia de ONGs norte-americanas, como a Ocean ConservancyProject AWARE Foundation, os associados do Instituto EcoFaxina são responsáveis pelo monitoramento dos voluntários, coleta e identificação dos resíduos, assim como, por todo material utilizado para a coleta, inclusive os EPIs.

- PROGRAMA TURMA ECOLÓGICA


O Programa Turma Ecológica é voltado para a educação de crianças de 6 a 14 anos que habitam palafitas. As aulas tem como objetivo difundir hábitos sustentáveis no dia a dia da comunidade lidando de forma integrada com a educação ambiental e o reforço escolar.

Introduzimos uma agenda ambiental transdisciplinar, utilizando os fundamentos da ecologia, bem-estar social e desenvolvimento sustentável, com o intuito de provocar nas crianças ações ambientais no seio da família, criar um diálogo através do caráter transformador da Educação Ambiental para a construção de uma sociedade saudável.

O programa teve início em janeiro de 2010 e segue até o momento em sua primeira fase, de acordo com a disponibilidade dos associados voluntários.