top of page

150ª Ação Voluntária festejou os 14 anos do Instituto EcoFaxina

Voluntários estiveram no Jardim São Manoel, em Santos, para limpeza de manguezal e coleta amostral para o Blue Keepers - uma iniciativa do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas).


A ideia de desenvolver um trabalho no combate à poluição dos oceanos surgiu em 14 de outubro de 2008, quando o fundador William Rodriguez Schepis ainda era estudante de Biologia Marinha na Universidade Santa Cecília.


Pouco a pouco, o número de pessoas envolvidas com os projetos do Instituto foi crescendo e já passa de mais de 4.000 voluntários.


Se hoje chegamos a marca de 150 ações, 92 em mangues, 46 em praias e 12 em rios, devemos tudo isso à dedicação e ao comprometimento dos nossos "voluntas", como são carinhosamente conhecidos. Formamos a Família EcoFaxina!


"Apaixonada por biologia desde a adolescência, tive a oportunidade de ver de perto conceitos que aprendi na escola, como bioacumulação e o impacto que a poluição causa nos ecossistemas aquáticos. Coloquei em prática os conhecimentos aprendidos durante as ações no meu dia a dia como professora, pois sempre que possível converso com meus alunos a respeito da importância da preservação do meio ambiente. Fiz bons amigos, aprendi muito e hoje levo em diante a bandeira da preservação ambiental, sempre convidando amigos e alunos a conhecer o excelente trabalho que o Instituto Ecofaxina realiza", conta Jessica Angulski.


Desde o primeiro encontro no Dique da Vila Gilda, o total de resíduos sólidos retirados soma 67.494 kg, o que contribuiu na redução de aporte de plástico em ecossistemas aquáticos localizados principalmente no estuário de Santos e São Vicente.


Na 150ª ação realizada no manguezal próximo ao bairro Jardim São Manoel, os voluntários recolheram 352 kg, sendo: 202 kg de plástico, 53 kg de isopor, 42 kg de borracha, 17 kg de vidro, 25 kg de tecido e 13 kg de outros materiais.



No mesmo dia, foi realizada uma coleta amostral para o Blue Keepers, uma iniciativa

do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas), na qual foi delimitada uma parcela de 5x5 metros, onde todos os resíduos coletados serão qualificados e quantificados por tipo de material, produto e marca, antes de seguir para o descarte adequado. O Instituto EcoFaxina foi o primeiro de uma lista de entidades brasileiras a realizar tal coleta que fará parte do estudo que avaliará a origem do lixo encontrado nos mares.



Uma de nossas atuações efetivas e de longa data é voltada ao monitoramento e à pesquisa. Nesses 14 anos de existência, estivemos à frente de alguns projetos que contribuíram para o estudo e levantamento de dados relevantes na preservação da vida marinha. Contribuímos na elaboração do PEMALM (Plano Estadual de Monitoramento e Avaliação do Lixo do Mar), realizado pelo governo do estado de São Paulo em parceria com o Instituto Oceanográfico da USP e entidades da sociedade civil.


Durante as ações voluntárias no estuário de Santos, a vulnerabilidade das famílias e do manguezal sempre nos chamou muita atenção.


"A primeira vez que fui ao mangue fiquei surpresa com a quantidade de lixo e com as condições sanitárias da população das palafitas, foi um choque de realidade. Nunca havia passado pela minha cabeça que a origem do lixo não era apenas dos banhistas, o problema era mais sério do que eu imaginava", relata Jessica Angulski.



Visando melhorar as condições socioambientais dessa região que abriga as palafitas, o Instituto EcoFaxina criou o projeto Sistema Ambiental de Coleta de Resíduos, que prevê a instalação de ecobarreiras, recuperação de área degradada de mangue, reciclagem e geração de renda, com a formalização de uma cooperativa com moradores de comunidades, por meio de investimento privado.


Ainda sobre nossa história, em 2013, o Instituto foi reconhecido com o Título de Utilidade Pública Municipal pela Câmara Municipal de Santos. Em 2022, foi a primeira entidade ambiental a receber subvenção social pela Prefeitura.


Desde a fundação, em 14 de outubro de 2008, contamos com o apoio da Terracom Engenharia e da UNISANTA, que seguem como apoiadores até hoje, junto a outras empresas e entidades como a FAM Cargo BR e a Associação Comercial de Santos.


Seguimos com a missão de informar, educar e inspirar pessoas a falarem e agirem pelos oceanos!


"Gostaria de agradecer a vocês por tudo que vem fazendo pela comunidade e também parabenizar por realizarem esse belo trabalho durante todos esses anos (mesmo parecendo não ter resultado). Vocês com certeza mudaram a vida de muitas pessoas, e eu sou uma delas! Muito obrigado", declaração do voluntário Luan Fidélis.



1.232 visualizações
bottom of page