top of page

Colégio São José e Instituto EcoFaxina transformam manguezal de Santos em sala de aula

Estudantes do 7º ano realizaram um mutirão de limpeza e conheceram mais sobre o berçário da vida marinha, no dia 29 de junho, encerrando de um jeito muito especial as comemorações ao mês do meio ambiente.


A Ação Voluntária EcoFaxina aconteceu no manguezal próximo ao bairro do Jardim São Manoel, em Santos, com uma turma de alunos de 12 e 13 anos. Foi uma experiência única e uma grande oportunidade de levarmos educação ambiental da sala de aula direto para o berçário da vida marinha, que a maioria dos voluntários só viu nos livros, e sem resíduos.



A aluna Ana Beatriz Marques se surpreendeu com o cenário logo que chegou no mangue. "Olhei e pensei: meu Deus, que sujo! Não imaginava que fosse assim, porque me lembro de alguns anos atrás estudar e ver imagens de um rio cheio de árvores com as raízes suspensas. Achei que encontraria isso e que a sujeira só estaria na água. Eu me enganei totalmente, aqui está muito desmatado e com bastante lixo, nada do que eu esperava".



E por falar em resíduos, esta turminha não brincou em serviço, coletou em apenas duas horas, ao todo, 72 kg, sendo: 45 kg de plástico, 2 kg de isopor, 12 kg de borracha, 3 kg de vidro, 6 kg de tecido e 4 kg de outros.



Nossos cientistas cidadãos realizaram esta coleta amostral em uma área delimitada de 5x5 metros. Eles retiraram cosméticos, tecidos, fármacos, isopor... E para quem acha que parou por aí, olhe só, como ficou a lista de alguns itens por tipo de produto:


Eppendorf: 260

Haste de cotonete: 193

Tampa de garrafa PET: 183

Calçado: 54

Haste de pirulito: 52

Canudo: 18

Isqueiro: 14

Brinquedo: 7

Garrafa de vidro: 5

Canetinha: 4

Lápis: 3

Bituca: 3

Caneta: 2

Tampa de metal: 2

Chuveiro: 1

Biquíni: 1

Colher descartável: 1

Almofada: 1

Sofá: 1



Durante a ação, os estudantes foram orientados por monitores do Instituto EcoFaxina, e também estiveram acompanhados da coordenadora Patrícia Marques, e da professora Michele Andriaci, que foi quem propôs a atividade externa ao colégio. "A ideia surgiu de uma conversa entre as turmas quando abordei os biomas brasileiros. Concluí que a maioria, mesmo morando no litoral, nunca tinha ouvido falar sobre o mangue. Os poucos que já tinham visto notícias a respeito, não sabiam dizer o que era ou qual a sua importância para o ambiente. Sendo assim, vi a necessidade de apresentar esse ecossistema costeiro aos alunos de uma forma prática e não apenas por vídeos ou fotos".



As crianças gostam bastante de animais aquáticos, principalmente, de golfinhos, baleias e tartarugas, e com toda certeza, ficaram contentes de atuarem como defensoras da vida marinha. "O objetivo da saída era o de estimular a reflexão sobre as consequências do descarte incorreto do lixo e os cuidados que devemos ter com a natureza, além de apresentar a paisagem do mangue que está presente em nossa região", declarou Michele.



Para o Instituto EcoFaxina, é sempre uma alegria dialogar com os pequenos. Curiosos e espertos, são excelentes agentes ambientais, pois, além de entenderem a importância da preservação do meio ambiente, passam esta mensagem adiante aos amigos e familiares, com muito entusiasmo.


"Ao final da experiência, os alunos que estiveram no mangue poderão disseminar de forma correta todo o aprendizado com as pessoas que eles convivem. Assim, conseguimos ampliar a rede de conhecimento sobre este ecossistema tão importante!", concluiu Michele, voluntária do Instituto desde 2010, que passou de estudante de Ciências Biológicas à professora, compartilhando seu conhecimento e suas vivências da escola para a aula prática, sendo um grande exemplo de como podemos fazer a diferença no mundo!


"Eu espero, sinceramente, que num futuro próximo, esta consciência ambiental esteja presente no cotidiano dessa geração, pois com ela temos mais uma possibilidade de fazer diferente, tornando a natureza viva, exuberante e rica como tem de ser. E pra mim, foi muito gratificante voltar ao manguezal como uma agente de transformação individual e coletiva, quem sabe até inspirando estes alunos a darem continuidade numa profissão tão linda, necessária e rica como a docência e a biologia", finalizou Michele.



E os propágulos (sementes) plantados pelos familiares e professores já estão dando boas florestas de mangue (bons frutos). Percebemos isto no entusiasmo e no envolvimento da garotada, que tirou dúvidas, coletou muitos resíduos e sorriu em vários momentos durante o mutirão de limpeza.


Foi o caso do estudante Paulo Masseran, super engajado, participou com muita disposição e alegria. Ele até gravou um vídeo publicado em nosso Instagram: @ecofaxina, não deixe de assistir! Vestiu o colete amarelo e já demonstrou ser o mais novo voluntário e agente ambiental do Instituto.


Veja o recadinho fofo e consciente que ele mandou para a galera, "a gente veio aqui neste projeto, porque sabemos o quanto é importante cuidar do nosso mundo. Se cada um fizer a sua parte, vai melhorar muito nossa qualidade de vida e das futuras gerações. Então, é um trabalho muito importante. Se tiver essa oportunidade, abrace porque realmente vai gostar, é super legal. Pode vir com amigos ou até mesmo sozinho. Você se conecta com a natureza".



A 167ª Ação Voluntária EcoFaxina contou com o apoio da Sociedade de Melhoramentos do Jardim São Manoel, Prefeitura de Santos e Terracom Engenharia.


Sobre o Colégio São José

A história do Colégio São José começou quando Madre Maria Teodora Voiron, superiora provincial da época, percebeu que em Santos havia uma carência de escolas para meninas, então procurou a Irmã Maria Simpliciana, que era uma francesa de 15 anos, e estava se saindo muito bem numa obra da Santa Casa de Misericórdia, em São Paulo.


Em 1º de fevereiro de 1924, deu-se início às aulas no São José de Santos, trabalho organizado por Irmã Maria Simpliciana e mais 4 Irmãs: Irmã Maria Leontina Amstalden, Maria Leticia de Jesus Franzen, Maria Edith Renaudin e Guilhermina. Foram acolhidas numa família de alta classe, a Vaz Guimarães, e começaram uma escola pequena, na Rua Dr. Chrome, 53. Com o crescimento, em abril de 1925, passou a funcionar na Avenida Ana Costa, nº 373, com 90 alunas.


O Colégio São José tem como missão contribuir para que o aluno amplie sua visão de mundo, capacitando-o a empreender um projeto de vida inovador e transformador por meio de uma educação de qualidade.


O objetivo da instituição de ensino é ser um centro referencial de educação, oferecendo um ambiente solidário e inovador, onde as potencialidades do indivíduo possam ser desenvolvidas.


Sobre o Instituto EcoFaxina

O Instituto EcoFaxina é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em 2008 na cidade de Santos para combater a poluição marinha e a degradação de ecossistemas aquáticos por meio da elaboração de projetos, desenvolvimento de pesquisas e promoção de políticas públicas, tendo como estratégia a contenção do resíduo sólido flutuante e a recuperação de áreas de preservação permanente, em parceria com o poder público, comunidades de palafitas e stakeholders.


O Instituto EcoFaxina organiza ações voluntárias para a limpeza de áreas naturais que, além de conscientizar a sociedade sobre as principais fontes geradoras de poluição marinha, são uma ferramenta de pesquisa e ciência cidadã que, por meio da sensibilização do trabalho em equipe, propiciam uma nova perspectiva sobre esse problema ambiental para quem participa ou acompanha os trabalhos.


Desde sua fundação, o Instituto realizou 167 ações, com o envolvimento de mais de 4.000 voluntários que retiraram quase 70 toneladas de resíduos sólidos de ecossistemas aquáticos.


Acesse a página da ação para mais fotos e informações.

1.907 visualizações

Comments


bottom of page